Como trabalhar as competências gerais da base em atividades cotidianas de sala. Competência 9: empatia e cooperação

A Base Nacional Comum Curricular ( BNCC), documento que normatiza o conjunto das aprendizagens essenciais para os alunos da Educação Básica, ou seja, do Infantil ao Ensino Médio, traz um foco na educação integral, com o desenvolvimento humano global, nos aspectos cognitivos e afetivos . Essas aprendizagens devem assegurar aos estudantes o desenvolvimento de dez competências gerais, que garantem os direitos de aprendizagem e desenvolvimento. Como competência, segundo a BNCC, entende-se a mobilização de conhecimentos, habilidades, atitudes e valores para resolver situações complexas. Garantir que as competências gerais sejam de fato desenvolvidas em sala e que os alunos possam desenvolver habilidades socioemocionais não é uma tarefa simples, porém, com uso de metodologias ativas, por exemplo, é possível inserir no planejamento sequências didáticas e atividades que estimulem o aprendizado dessas competências.

Observando a competência 9 por exemplo, que na BNCC temos “ Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de problemas e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceito de qualquer natureza”. Esta competência aborda o desenvolvimento social, através de posturas e atitudes que devem ter relação ao outro, através da necessidade de dialogar, colaborar, se solidarizar, respeitando a diversidade social, econômica, política e cultural. Até o final do Ensino Fundamental os alunos devem aprender a valorizar e reconhecer a diversidade de diferentes grupos, lugares e culturas para combater o preconceito; Conhecer, acolher o outro, dialogar e colaborar são fundamentais para o pleno desenvolvimento dessa competência, que deve ser estimulada de diferentes formas de acordo com a faixa etária e de forma que possa ser ampliada para a resolução de conflitos, na perspectiva do estímulo à empatia.

Como exemplo podemos citar situações como dos alunos do 4° ano Ensino Fundamental, anos iniciais, que decidiram doar livros paradidáticos que eles utilizaram nos anos anteriores na escola. Eles não fizeram apenas a doação dos livros, mas junto com suas professoras, visitaram uma escola pública da zona rural da cidade de Sousa, com uma contação de história e atividades de socialização para com alunos dessa escola. A troca foi bastante significativa para todos, pois, as atividades foram direcionadas para rodas de conversa, brincadeiras e muita leitura., os alunos puderam realizar um trabalho significativo, por acontecer na semana em que se comemorou o Dia do Livro, além de compartilharem histórias legais com outras crianças. Percebemos aqui, a criança como protagonista, desenvolvendo habilidades

socioemocionais, que vão muito além do conteúdo acadêmico e que teve uma ação que resultou literalmente em uma boa história pra compartilhar!

Da Redação.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *